sexta-feira, 21 de maio de 2010

ADEMAR ADAMS: TJ tem chance de sair da linha de tiro. Tribunal precisa entrar em sintonia com a sociedade e pautar julgamento imediato dos Fichas Sujas de Mato Grosso




21/05/2010 - 08:33:00

O Tribunal de Justiça e os fichas sjas
Por Ademar Adams

Agora que foi aprovada a lei que veda a candidatura de quem tenha sido condenado por um órgão colegiado da justiça, surge a oportunidade de o nosso Tribunal de Justiça resgatar pelo menos em parte a credibilidade perante a população.
Pelo que se ouve das conversas com as pessoas, pelo que se lê nos comentários dos sites interativos, o senso comum é que no judiciário todos são corruptos, todos se vendem e que ninguém faz justiça de fato.
Não compartilho deste pensamento, pois, não gosto de generalizar sobre nenhum grupo social. Na minha vida já cruzei com muitos magistrados e magistradas honestos, idealistas e cumpridores da missão na carreira que abraçaram. É nestes que devemos confiar.
O nosso Tribunal de Justiça vem sendo bombardeado por denúncias há mais de uma década e nunca foi submetido a uma correição efetiva como a que esta tendo nos dias atuais. Isso graças ao Conselho Nacional de Justiça, instituição reclamada pela sociedade e em boa ora colocada à serviço da boa justiça.
Sabemos que grande parte dos males que afligem o nosso TJ, tem origem na promiscuidade com o poder legislativo, nas trocas de favores, nem sempre pautadas pela lisura e pelo interesse público.
Quem não soube do discurso de um desembargador, recentemente aposentado pelo CNJ, numa posse da Mesa da Assembléia, onde perante toda sociedade presente, passou certidão de honestidade a deputados atolados de processos na Justiça? Foi um clímax de promiscuidade explícita, que ainda está no youtube (“ostras e parasitas”) para que quiser ver e ouvir a barbaridade.
Mas, pode ter chegado a hora da virada no Tribunal de Justiça. E ainda que ele venha sangrar com mais algumas punições que podem acontecer brevemente, o comando atual, nas mãos do desembargador José Silvério, poderá conduzir o nosso judiciário a uma nova e promissora era.

Estive, recentemente, em duas ocasiões com o presidente do TJ e tive a impressão de ser ele um homem de bem, procurando achar uma luz na escuridão que envolve a instituição. Com seu jeito tímido, com sua calma, e décadas de vivência na carreira, é possível que ache o caminho para tirar o judiciário estadual da linha de tiro.

A oportunidade está sendo dada agora. Com a aprovação da lei que impede a candidatura dos corruptos condenados, e com alguns processos contra políticos, prontos a serem julgados, o Tribunal precisa entrar em sintonia com a sociedade e colocar na pauta estes processos.

Acredito que o desembargador José Silvério e os demais pares não podem perder esta oportunidade, de mostrarem para a sociedade que estão ali para fazer justiça. E todos sabem que para que a justiça seja feita, devem começar afastando os corruptos da vida pública do nosso Estado.
Quero voltar a acreditar no Tribunal de Justiça de Mato Grosso e acredito que este é o desejo de todas as pessoas que acreditam na democracia e no regime republicano. Está nas mãos de José Silvério e demais julgadores, o destino do Judiciário Estadual. A sociedade espera que eles cumpram o seu dever!

Ademar Adams é jornalista em Cuiabá
ademar.adams@gmail.com

Site pesquisa:
http://paginadoenock.com.br