sábado, 1 de maio de 2010

MCCE pede a extinção do Instituto Creatio e punição para o "bispo" Humberto Bosaipo, da Igreja Nação para Cristo


30/04/2010 - 16:11:00

Um pedido de extinção da Oscip Instituto Creatio e um pedido de investigação sobre as atividades de igreja evangélica criada pelo conselheiro do TCE, Humberto Bosaipo (foto), que estaria se beneficiando irregularmente de verbas públicas motivaram as duas representações com que o MCCE ingressou nesta sexta-feira, no Ministério Público Estadual.

Desde o ano de 2005, o MCCE - Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral, vem pedindo ao Ministério Público para que manifeste sobre os negócios do Instituto Creatio, que mantém contratos com diversos órgãos públicos em Mato Grosso, sem uma resposta ministerial até esta data.

Nem mesmo as dezenas de prefeituras que assinaram contratos ‘de adesão (padrão) com diversas OSCIPS mereceram investigação por parte do MPE, que recebeu do MCCE os extratos dos contratos publicados no Diário Oficial do Estado.

“Mas nós somos chatos, insistimos que o MP se envolva na questão. Estamos oferecendo elementos para pedir a dissolução (extinção) do Instituto Creatio” revela Antonio Cavalcante Filho, o Ceará, Coordenador estadual do MCCE. Segundo ele, o criador do Instituo Creatio, professor Ronilton Souza Carlos, atualmente preso pela Polícia Federal, foi beneficiado por decisões do secretário Geraldo de Vitto, e recebe salário de servidor público sem trabalhar. “Pela lei, ele [Ronilton] já deveria ter siso afastado do serviço público, mas continua na folha de pagamento da Unemat” confirma o Coordenador do MCCE.

O Movimento protocolou hoje no MPE uma representação contra Geraldo de Vito, Ronilton Souza Carlos e Instituo Creatio e segundo informações do advogado do MCCE, Vilson Nery, nem mesmo o Tribunal de Contas está imune às relações com o Creatio. “Veja, cerca de 350 empregados foram contratados pelo Creatio para trabalhar no TCE. Isso não pode, há parentes de conselheiros trabalhando sem concurso, pagos pelo Creatio”. O Instituto foi criado por Ronilton, que foi colocado à disposição de uma prefeitura do interior por decisão do secretário der Vitto. Segundo o MCCE, isso é ilegal.

BISPO BOSAIPO

O Movimento também protocolou um pedido de investigação contra a igreja “Nação para Cristo” criada pelo ex deputado Humberto Bosaipo, que é seu "líder espiritual". Mesmo contra a lei, a igreja estaria recebendo dinheiro público de governo estadual e prefeituras e há informações de que computadores foram doados pelo TCE-MT à seita do Bispo Bosaipo.

“O Estado é laico, não tem religião. Se der benefício a um tem que estender a todos. Ao pastor Valdomiro (igreja Mundial), à igreja Católica, ao terreiro de umbanda do ‘pai de santo’ do Porto, não só prá Igreja do Bispo Bosaipo”, protesta o advogado Vilson Nery, segundo o qual a “Nação para Cristo” estaria recebendo recursos e benefícios da Setecs, Ceprotec e Tribunal de Contas do Estado.

Comprovadas as transações entre a igreja de Bosaipo e o TCE, o MPE pode propor, querendo, ação civil pública por ato de improbidade. Quanto ao Creatio, a própria lei proíbe funcionários públicos de receberem recursos por meio da entidade e prevê a extinção quando de seu mau uso, como está comprovado pela Justiça Federal.

Com informações do MCCE-MT

CLIQUE NO LINK ABAIXO E CONFIRA A DENUNCIA DO MCCE CONTRA O BISPO HUMBERTO BOSAIPO

http://www.scribd.com/doc/30755161/Mpe-Pagina-Do-e-Mcce-Contra-Igreja-de-Bosaipo

CLIQUE NO LINK ABAIXO E CONFIRA A PROPOSTA DO MCCE DE EXTINÇÃO DO INSTITUTO CREATIVO

http://www.scribd.com/doc/30755323/Mpe-Pagina-Do-e-Mcce-Contra-Creatio

PESQUISA:
http://paginadoenock.com.br/home/post/5953