sexta-feira, 23 de julho de 2010

Greve do Judiciário não impede Vara Criminal de impulsionar processo de Riva contra blogueiros.

Pedidos de prisão contra mim, Enock Cavalcanti, Adriana Vandoni e Fábio Pannunzio começam a ser analisados dia 30

23/07/2010 - 12:11:00
Enock_cavalcanti
A OAB se queixa de que advogados de Mato Grosso não conseguem trabalhar com greve do Judiciário. Ex-presidente da OAB, advogado Renato Nery sugere que greve beneficiam políticos fichas sujas como Riva e outros. Na Décima Vara Criminal, todavia, apesar da paralisação, o processo que o deputado Geraldo Riva, um dos políticos mais processados de todo o País, está movendo contra três blogueiros que teimam em falar dos crimes de que ele é acusado, achou um jeito de avançar. Um oficial de Justiça fura greve apareceu para cumprir os mandados. Para o próximo dia 30, então, está marcada a primeira audiência do processo 43/2010, em que Riva pede que eu, Enock Cavalcanti, a blogueira Adriana Vandoni e o blogueiro de Brasília Fabio Pannunzio, sejamos enquadrados pelos crimes de calúnia (artigo 138 - cuja pena é de detenção, de seis meses a dois anos, e multa); difamação (artigo 139 - pena de detenção, de três meses a um ano, e multa) e injúria (artigo 140 - pena de detenção, de um a seis meses, ou multa).

Qual o meu crime? Qual o crime de Adriana Vandoni? Qual o crime de Fábio Pannunzio? Falar dos processos a que Riva responde na Justiça. De acordo com o Ministério Público Estadual Riva, em parceria com o ex-deputado Humberto Bosaipo e outras 20 e tantas pessoas, pode ser o responsável pelo desvio de quantia superior a meio bilhão de real (valores corrigidos), dos cofres da Assembléia Legislativa.  Para Riva, o que o levou a decidir pelos processos contra mim, contra Adriana, contra Pannunzio, foram os "excessos" que teríamos cometidos ao falar destes processos movidos contra ele pelo MPE. Sim, talvez sejamos "excessivos" porque a gente procura manter uma cobertura mínima do andamento desses processos, quando a grande imprensa de MT trata o caso com, digamos assim, um certo descaso. Talvez seja isso. No julgamento dos processos, vamos saber, efetivamente, o que o Poder Judiciário pensa a respeito.
"Sempre convivi com críticas, mas passaram dos limites. Não posso ser deliberadamente atacado em minha honra sem reagir. Se esses crimes estão previstos pela Legislação, então a Justiça que defina, de modo isento, quem está com a razão", afirmou o parlamentar, falando ao Midianews. Na ação, Riva alega ter sido ofendido por textos publicados na internet. Para Adriana Vandoni e para mim, Enock Cavalcanti, proibidos judicialmente, em outro feito, de comentar as ações de improbidade, o deputado sugere que sejam aplicadas penas de seis meses e de 11 anos de prisão, respectivamente. Já no caso do jornalista Fábio Pannunzio, o deputado pede reclusão de 15 anos em regime fechado.