domingo, 24 de outubro de 2010

NÃO SEPAREI O QUE DEUS JUNTO.



Não separei o que DEUS junto.

Foi a frase dita hoje no Centro Espirita, pelo palestrante Dr. José Luiz, ele se referia a junção carnal e espiritual. Compromisso feito antes de nascer.



Como ainda acredito que existe um PLANO DE DEUS para nossas vidas, há também a ligação espiritual quando encontramos nossas almas gêmeas ou com compromissos sérios a resolver, antes de encontra a verdadeira alma gêmea. Existe muitos amores diferentes e compromissos diferentes.

Penso que o AMOR é a palavra chave para definir esta questão, penso que o compromisso que nos uni é capaz de gerar um relacionamento.

O palestrante comentou uma *parábola* espírita, para explicar a situação, um casamento realizado por compromisso, como estou dentro de um Centro Espirital,é normal, falar de encarmação e normal falar da continuação da vida, após amorte. Nas demais religiões, também se fala na continuação da vida após a morte.

O palestrante continua dizendo, que em várias encarmações ela veio com a missão de AMAR aquele homem, não em TOLERA-LO, em SUPORTÁ-LO.

Em várias encarmações viveu submissa a este homem, sendo tratada como uma escrava, sem poder ter contato com o mundo. Na última encarnação, este homem foi embora antes dela, se sentiu livre para viver o resto da sua vida, já que durante 50 anos este ligada a vida conjugal sobre domínio total deste homem.

/O amor é livre e não escraviza/


No mundo espiritual, quando esta mulher chegou, houve um reunião para saber o ela sentiu durante esta última reencarnação. O resultado desta reunião é extremamente perverso, pois esta mulher soltou os cachorros para dizer sobre o que aconteceu com ela, durante sua última estádia na Terra, sob o julgo deste homem horrivel.

Foi dito a ela, que o seu marido estaria encarnando nos próximos anos e que ela após 05 anos da sua encarnação, ela também nasceria na Terra e que casaria de novo, com a mesma pessoa. Ela quase morreu ... deu pulos ... ficou com raiva ... como iria viver com aquele homem novamente, seria insuportável.

Mas foi dito a ela, que em várias encarnações atrás, este homem a amava loucamente, era um marido perfeito, cheio de vida e devoto a família, até que ela apaixonado por outro, o traí-o. A sua magoa pela traíção, permanecia da mesma maneira quando foi traído há várias encarnação, assim ele subjulgava a mulher que sempre amou, dominando a sua vida e o seu destino.

Não queria ser traído novamente e perder a mulher da sua vida. Ela causou neste homem um trauma imenso, que teria que resolver, novamente por meio do casamento, mas desta vez amando e não traindo.

Acredito que o AMOR pode curar um ferida feita há várias encarnações, porém penso que o casamento neste caso, só irá piorar a situação, pois a mulher em questões não é capaz de amar um tirano, que a subjulgou durante várias encarnações e ele, não perdoa uma traíção, que nas outras vidas ela não recorda, do que havia acontecido.

Assim sendo, deve-se uni-los, mas sobre outro vínculo, pode ser como mãe e filho, pai e filha, irmãos, parentes que possa viver juntos, mas como os mesmos idéias, até que seja quebrado o círculo vicioso da mágoa e ódio. Este círculo que os uni, é motivo da destruição do AMOR. A MISSÃO é AMAR, não importa como ... marido e mulher ... pai/mãe e filho ... irmãos ... parentes consaguineos, amigos ... etc...

/O que Deus uniu, o homem não separa - AMOR RESPEITA/


O QUE DEUS JUNTOU ... o homem não separa. A união é feita antes de nascer, um PLANO a seguir na Terra, são estabelecidas metas e compromisso a seguir. Estas metas e compromissos serão apresentadas por meio das experiências vivênciadas na Terra.

São estas experiências suportadas durante a vida na Terra, e o principal, não apenas suportadas, TRANFORMADA EM AMOR, pois esta era a missão desta mulher, transformar a mágoa em CONFIANÇA e não subjulgação de um ser, que aparenta ser frágil, ele transformar a sua MÁGOA em PERDÃO, pois somos falhos em alguns momentos de confusão de sentimentos.


A mulher não pode ser inferior ao homem, submetendo a suas vontades, mas iguais.

O homem tem que aceitar que a sua mulher tenha uma identidade e uma personalidade a ser valorizada, a mulher tem que ter a sua liberdade, para poder fazer as suas escolhas, não se deixando dominar pela vontade de seu conjuge.

A submissão da mulher trava o crescimento do mundo, ela é a parte submete a vontade alheia, destruindo a IGUALDADE DE DIREITOS.

Agora, está na hora da IGUALDADE TOTAL DE DIREITOS, homens e mulheres são IGUAIS PERANTE DEUS, não existe diferença, apenas na TERRA.

Se há problemas de divergências são conceitos humanos e não DIVINOS. Mas o crescimento é necessários pois o mundo precisa evoluir, quando há o atrito, há a tomada de consciência, ou melhor, o despertar da consciência para a solução de velhos problemas. Neste momento, há o crescimento da função da mulher na sociedade, onde o machismo ainda imperar.

MULHER É IGUAL AO HOMEM, sua traíção em vida passada, não justifica a sua SUBJUGAÇÃO NAS DEMAIS ENCARNAÇÕES. A mulher também é livre para erra, tanto que aprendeu a lição e não traíu mais, aceitou a dominação masculina, pois o seu amor é controlador e não é LIVRE.

O homem que subjuga uma mulher, não é capaz de amá-la ... dê a liberdade e saberás se ela te amas de verdade. O amor existe, quando a fidelidade vem dele e não por imposição.

Como disse Alexandre Garcia, reporter da TV GLOBO – do Jornal Bom Dia Brasil, sobre o AMOR, um espirito que veio como a missão de destruir o velho conceito de amor para uma nova - entre a SUBJULGAÇÃO e o
VERDADEIRO AMOR:




"Uma relação de domínio e medo não pode ser mantida pela tentativa de preservar a relação, não indo à polícia. Uma relação assim não tem futuro mesmo.

Não tem nada a ver com uma relação saudável de companheirismo, de cumplicidade, de intimidade e, sobretudo, de desigualdades que se complementam e preservam a personalidade e a liberdade de cada um. Domínio e submissão são para escravatura.

Amor é entre pessoas livres."


QUANDO AMAMOS DE VERDADE ... a nossa alma se expande e LIBERTA para novas experiências, mesmo que uma relação termine, mas o AMOR continua com o RESPEITO. Está na hora de aprender a AMAR, não existe amor unilateral, o amor é recíproco... é UNIVERSAL.


Gostaria de ressaltar que o AMOR é LIVRE, também para seguir a DEUS. Uma opção de vida, para ser Padre, Freira, Pastor, dirigente de um Centro Espirita, do Islã, do Budismo, da Cultura Indiana ou de qualquer outra ... não recrimine uma escolha por DEUS, apenas uma escolha em amar a um ser superior.


É LIVRE O AMOR POR DEUS.


O AMOR É ENTRE PESSOAS LIVRES E NÃO SUBMISSAS.


O QUE DEUS UNIU PELO AMOR, O HOMEM NÃO DESTRÓI.


Texto escrito por Cláudia Cristinne Fanaia de Almeida Dorst, em Cuiabá, dia 24/10/2010, após uma palestra assistida no Centro Espirita, sobre o Tema a união conjugal.