domingo, 21 de novembro de 2010

Doar sangue: benefícios para seu coração


Mesmo com todos os avanços da medicina, ainda não se descobriu um substituto para o sangue humano, que é utilizado nos mais diversos casos, desde acidentes de trânsito a pacientes cardíacos e qualquer pessoa que se submeta a uma cirurgia com riscos de sangramento. Segundo a Organização Mundial de Saúde, o ideal é que 5% da população doe sangue pelo menos uma vez por ano. No Brasil, essa taxa é de apenas 2%.
Veja também:
Os bancos de sangue de todo o País estão sempre com déficit de abastecimento. Uma das causas do problema é a falta de informação da maioria das pessoas, que cercam a doação de sangue de mitos, entre os quais de que o sangue engrossa ou afina após a doação.
Em vez disso, o ato de doar sangue traz benefícios a sua saúde. Segundo o médico Guilherme Deucher, presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Ortomolecular (Sobramo), "um estudo realizado na Finlândia mostra que a doação pode diminuir em 86% os riscos de problemas cardiovasculares no homem. A relação entre doação e a diminuição das doenças cardíacas está ligada ao excesso de ferro acumulado no sangue, que se torna um potencial agente oxidante, atuando como catalisador da geração de radicais livres, substâncias tóxicas produzidas pelo organismo".
Já as mulheres têm este risco naturalmente diminuído durante o período menstrual, que elimina o excedente de ferro acumulado no sangue.
Terra

http://saude.terra.com.br/interna/0,,OI219371-EI1515,00.html

FERRO
Fontes: Fígado, gema de ovo, ostras, nozes, feijão, aveia, carne e aspargo.
Função: Atua na formação da hemoglobina (pigmento do glóbulo vermelho que transporta o oxigênio dos pulmões para os tecidos) 
Excesso: Pode aumentar incidência de problemas cardíacos e diabetes. Segundo estudos biomeleculares, o excesso de ferro gera o aumento de radicais livres, em especial o mais deletério (hidroxila)
Carência: É rara, pois está presente em abundância na alimentação. Em casos extremos, pode causar anemia.
Benefícios: Atua na formação da hemoglobina (pigmento do glóbulo vermelho que transporta o oxigênio dos pulmões para os tecidos)

Hemocromatose: excesso de ferro é prejudicial

O organismo é como uma máquina. Cada órgão, articulação e músculo precisa estar em equilíbrio para que o conjunto funcione perfeitamente. O fluido que move toda essa arquitetura complexa é o sangue. Essencial para a vida, é composto de glóbulos brancos e vermelhos. Os brancos são os leucócitos, o exército de defesa de nosso corpo. Os vermelhos - que contêm a hemoglobina - são os responsáveis pelo transporte de oxigênio para as células, além da retirada do dióxido de carbono. Esse é o processo de produção e liberação de energia do organismo, que precisa do mineral ferro para funcionar bem.
Pensando assim, dá até para acreditar que, quanto mais ferro for consumido, mais energia você terá. Mas, neste caso, a lógica é bem diferente. Um adulto saudável tem de 40 a 160 microgramas de ferro no sangue, que é o nível recomendado. Índices acima disso são um sinal de problema. Entretanto, há quem acumule o mineral em quantidade superior à necessária. É o caso dos portadores de hemocromatose - alteração genética que faz com que o organismo absorva o ferro em quantidades maiores ou não faça sua eliminação adequada.
O excesso de ferro no sangue pode provocar ferrugem nos órgãos, causando consequências distintas para cada parte do corpo. No fígado, altos níveis do mineral podem causar cirrose; no pâncreas, diabetes; no coração, insuficiência cardíaca; nas glândulas, mau funcionamento e problemas na produção hormonal.
"Felizmente, apenas alguns pacientes desenvolvem problemas mais sérios e agudos", ressalta o dr. Nelson Hamerschlak, coordenador do Programa de Hematologia e Transplantes de Medula óssea do Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE).
.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X
MINHA OPINIÃO PESSOAL: Percebi que após as doações minha pele melhora, não sei se é o trabalho do organismo de criar novas células, componentes do sangue que faz rejuvelhecer a minha pele. Hoje tenho 42 anos, que comecei a perceber que não era apenas as atividades físicas, mas algo a mais, o que faço a mais que poderia retardar o envelhecimento?   Pensei: alimentação?  Nem tanto, como de tudo, porém em pequenas quantidades. Analisando, percebi que há aproximadamente 15 anos dôo sangue, que isto seria um fator bem provável, além da genética, para que minha pele se renove sempre, além de utilizar alguns produto de beleza, como Natura, Avon, Boticário ... etc.  Se meu organismo irá trabalhar para repor o sangue doado, além de tirar o excesso de ferro, se houver, deve mexer com todo o nosso sistema vascular, assim mexendo com cada órgão, pois somos uma máquina perfeita, tudo interligado.    Pensei, mas até agora uma analise minha:  que eu faço sem querer meu organismo renovar meu estoque de células, quando tiro de circulação as células antigas do sangue.  Não sou cientista, mas agora para se levar a pesquisa, procurei na internet, não encontrei nada palpável sobre este processo fora do organismo... a nossa PELE.   PENSE NISTO.
.........
MY PERSONAL OPINION: I noticed that after giving my skin improved, I do not know if it's the work of the body create new cells, blood components, which makes my skin rejuvelhecer.  Today I am 42 years old, I began to realize that it was not just the physical activities, but something else, what else could I do to slow aging? I thought food?  Not so, as everything, but in small quantities. Looking, I realized that there are about 15 years give blood, this would be a likely factor, in addition to genetics, so my skin is always renewing, and use some beauty product, such as Natura, Avon, Apothecary ...etc..  If my body will work to replace the donated blood, and remove excess iron, if any, to shake up our entire vascular system, so playing with each organ, because we are a perfect machine, all connected.   I thought, but so far a review of mine: I do not want my body to renew my stock of cells, when shooting from circulation of old blood cells.  I'm no scientist, but now to lead the research, searched the internet, I found nothing tangible about this process outside the body ... our SKIN.  THINK ABOUT THIS.