sábado, 15 de janeiro de 2011

DO DESPREZO - PAULO COELHO


Do desprezo

sáb, 31/01/09
por Paulo Coelho |
categoria Todas

“Grande parte de nossas culpas são um disfarce para nossa arrogância. Os que julgam combater o orgulho e a vaidade, condenando a si mesmos, deveriam lembrar-se do seguinte: quem se despreza está dando uma prova de vaidade”.

“Na antiga Atenas, os políticos tinham uma relação direta com seus eleitores; não procuravam parecer aquilo que não eram. Quando algum político procurava conquistar os votos da classe trabalhadora, aparecendo vestido numa capa esfarrapada, Sócrates comentava em voz alta: podemos ver a vaidade e o cinismo escapando por cada buraco desta capa”.

“Quando vivemos condenando a nós mesmos, terminamos por causar um colapso de nossa dignidade pessoal”.






Cláudia Fanaia Dorst: 

“Quando vivemos condenando a nós mesmos, terminamos por causar um colapso de nossa dignidade pessoal”.
Perfeita a mensagem… aprendi isto na carne, pensava que ser boa iria me fazer melhor e assim estava auxiliando quem mais precisava. Sim, muitos atos jamais serão esquecidos pois sei que saiu do coração, porém mal interpretados.
Adorava quando ia visitar a Santa Casa em Cuiabá, não era uma forma de bondade, mas de auxilio a minha pessoa. Adorava me doar as pessoas como forma de dizer que estou fazendo o bem a humanidade… porém não questiono a minha atitude diante dos necessitados na Santa Casa, pois a maioria não sabem que passei em sua vida.
Questiono a minha doação a pessoas má, onde a minha DIGNIDADE e a DIGNIDADE da família foram totalmente afetadas pela sua maldade. Eu querendo ajudar e eu e minha família sendo envolvida em atos ilícitos.
O meu coração não é mais o mesmo, não me dôo mais da mesma forma, porém tenho que buscar condições melhores de sobrevivência para minha comunidade e para meu mundo.
Não quero dizer, estarei sempre disponível, mas estarei nos momentos possível a realizar tal ato. As vezes, nos vestimos de humilde apenas para mascarar que tem uma fera dentro de nós. Sou amor, pois sou ser humano, mas também sou uma ONÇA PINTADA, pois sou ser humano, com instinto a serem dominados.
Quando controlamos estes instintos estamos muitas vezes mascarando uma realidade, é claro que o controle e necessários, mas precisamos expressar a nossa agonia e nossa ansiedade diante de algum fato, passar a mão para depois, um dia, um pequeno problema se transformar em algo difícil de ser resolvido.
Deixei de auxiliar quem não precisa, apenas quem realmente precise, como um doente, crianças e pessoas que amo, isto se ela mereça.
AMEI SEU TEXTO, me fez lembrar fatos de 03 anos atrás, quando pensava apenas em me ESQUECER para viver a VIDA DO OUTRO. Isto quer dizer EU NÃO ME AMA, estava travestida da vaidade e egoísmo… SOU MELHOR QUE OUTRO.
Agora ERRO, DISCUTO, sou IMPERFEITA, sou REALISTA, me permito SER HUMANA e não SANTA.
Não sou SANTA…
Bjs,