sábado, 8 de janeiro de 2011

INTOLERÂNCIA RELIGIOSA POR PARTE DOS EVANGÉLICOS -

CURSO QUE FIZ DE DIREITOS HUMANOS  - NA INTERNET - GOVERNO FEDERAL


5. Sentindo na pele:

A partir das violações dos direitos à vida, à saúde e a alimentação, relate alguma experiência sua ou de seu movimento/comunidade no qual tenha vivenciado alguma dessas violações (tortura, fome, falta saúde).

Comentário:
Na realidade Direito á saúde e a alimentação, graças a Deus nunca tive problemas graves com isto. Simplesmente, porque desde criança tive orientações dos meus pais e eles nunca deixaram faltar nada, pois me deram estudo da melhor qualidade, mesmo em escolas públicas e alimentação correta, pois tínhamos no fundo de casa horta e criação de pequenos animais.

Como referência a “tortura”, aqui digo, tortura psicológica e emocional, já senti na carne, pois minha religião é discriminada onde vivo, pois sou Espírita. No momento, aqui em Cuiabá, quem não for Evangélico sofre as conseqüências de serem discriminados socialmente e moralmente, sendo que fui chama de “louca”, que estava com o “demônio no corpo” e até sendo feita campanha no orkut, para que melhore espiritualmente, porque não tenho a mesmas crenças e valores que a maioria das pessoas aqui, até tentaram me amarar, porque eu estava exigindo meus direitos de pensar livremente, buscar a minha religião e o direito de viver em paz em minha própria casa, coisa a se pensar, até onde uma religião pode interferir na política de um município, de um estado ou até mesmo de um país ou mesmo na vida de um simples individuo, como eu.

Posso até não pensar de acordo com a maioria das pessoas, mas gostaria, que respeitassem meu direito de buscar o meu mundo espiritual da forma a qual mais me convier, não quero ser doutrinada ou que tirem meu direito de buscar minhas próprias opiniões a respeito de Deus. Acredito que todos os homens tenham conhecimento o que seria Deus, mas cada um de sua maneira e suas convicções de vida, portanto, não permitirei que alguém me faça mudar de religião, simplesmente não aceitam o meu ponto de vista. Estou vivendo no século 21 e não na idade média. Estou vivendo no mundo das transformações tecnológicas e no mundo virtual, onde o conhecimento é exposto a todos com as mesmas facilidades, então, como irei me submeter a tal arbitrariedade, porque alguém se acha que a sua religião é mais importante que as demais.

Sei que isto não deveria ocorre, porém existem muitos “políticos” que são evangélicos e as pessoas que os acompanham pensam que podem discriminar, menosprezar o direito de escolher seus próprios caminhos e de expressar livremente sua religião. O respeito ao individualismo está acabando, apenas por que a impunidade está instalando de forma sorrateira.

Deixo aqui um protesto com referência a isto, não estou brincando, apenas que as autoridades tenham conhecimento dos fatos e para isso anexo reportagem como testemunho da veracidade de fatos:



GRACIELY - NA REALIZADE VÂNIA GOMES & COMPANHIA EVANGÉLICA - 


APARTIR DESTE MOMENTO, DECIDI FALAR E NÃO ACEITAR MAIS AS ATITUDES DESTE POVO. 


VOU FAZER O MESMO, SE ELES PODEM, EU TAMBÉM POSSO ... POIS ATE PROMOTOR DE JUSTIÇA FAZ O MESMO ... NÃO RESPEITA MINHA RELIGIÃO. SE NÃO EXISTE JUSTIÇA, ENTÃO É MELHOR USAR O MESMO MÉTODO ... DÓI NÉ.



Até no orkut do meus filhos estão sendo colocados estes recados... mas tudo bem, meus filhos sabem que não tenho problemas, porém o RESPEITO  a mim que está faltando por parte de pessoas evangélicas:



Feedback de Tutor


sábado, 19 julho 2008, 22:49

Nota: -
Claudia, o direito a liberdade de pensamento e religião, como você coloca,é violado mas as pessoas acham normal. Confesso que não sabia que nos dias de hoje a perseguição religiosa ainda está ocorrendo.
Espero que você continue com força para agüentar a pressão. Continue denunciando!
Bom estudo.
Vanessa.