quarta-feira, 22 de junho de 2011

Acusado de pedofilia é preso

Clique para Ampliar




Há dez anos no Brasil, o americano Kenneth Craig estava na lista dos mais procurados dos Estados Unidos
Rio de Janeiro O americano Kenneth Craig, acusado de abusar sexualmente de dois adolescentes nos Estados Unidos, foi preso ontem, na zona oeste do Rio de Janeiro. Ele vivia no Brasil nos últimos dez anos, onde usava nomes falsos e fazia-se passar por professor de inglês e músico. A fuga do americano para o Rio de Janeiro foi tema do programa policial "America´s Most Wanted", da tevê norte-americana, e, no Brasil, foi assunto do programa "Fantástico", da Rede Globo, no último domingo.

Craig era pastor e vivia na Flórida, quando foi preso em flagrante com dois adolescentes em um motel, em outubro de 1998. De acordo com a acusação, ele filmou as relações sexuais que teve com os garotos para vender as imagens pela internet.

Ele fugiu para o Brasil depois que a namorada pagou a fiança. Em 2008, o pastor chegou a ser preso no Rio e foi pedida a extradição dele, mas o governo dos Estados Unidos não forneceu os documentos requisitados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e Craig foi libertado. Numa parceria com o governo americano, o Disque-Denúncia ofereceu R$ 15 mil de recompensa por informações que levassem ao criminoso. Um telefonema dado ao serviço de denúncias levou ontem os agentes da Polícia Federal (PF) à Barra da Tijuca. Ao todo, foram recebidos 42 telefonemas sobre o americano.

A Polícia informou que agentes em parceria com policiais americanos, que atuam no consulado do Rio, montaram um cerco para prender Craig.

A PF afirmou que ele se apresentou na companhia de dois advogados na Delegacia de Imigração da Polícia Federal, no Aeroporto Internacional Tom Jobim. Ainda segundo a Polícia Federal, os agentes já tinham informações sobre a residência do americano e os locais que costumava frequentar no Rio. Ele já morou em Copacabana e no Morro do Vidigal, ambos na Zona Sul da cidade. A PF explicou que o americano foi levado, por volta das 16h30 de ontem, ao Instituto Médico Legal, para realizar o exame de corpo de delito. Em seguida, ele será encaminhado ao sistema penitenciário, que vai direcioná-lo para uma carceragem.




http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=1000983