sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Franklin Cassiano da Silva - pertenceu ao SIMBOLISMO






O Simbolismo em Mato Grosso




ORIGEM:


O Simbolismo teve suas origens na França em 1866 quando Jean Moreas codificou e divulgou o novo estilo. Tal divulgação aconteceu na revisa Le Figaro.


Em Portugal o Simbolismo foi levado por Eugênio de Castro no prefácio do livro "Oaristos" em 1898.


No Brasil o Simbolismo desencadeou uma série de idéias que culminou com a chegada do Modernismo. Cruz e Sousa foi o que melhor produziu na literatura Simbolista, além de introduzi-la em nosso meio, escreveu "Missal"e "Broquéis" entre outros.


CARACTERÍSTICAS : 


O Simbolismo se baseia em Símbolos, ou seja, música, rimas, figuras de linguagem, cores (principalmente a branca). Além disso ele apresenta emoção,sentimentos, o nebuloso, o metafísico. Tenta aproximar a poesia da música,o mergulho no inconsciente, religiosidade, intuição, imagem e fantasia. Usa, às vezes, ambiguidade, a aliteração, a sinestesia ( uma idéia para evocar várias sensações).


http://nucleodepesquisa.blog.terra.com.br/2009/06/12/afinal-o-que-e-literatura-mato-grossense-2/


SIMBOLISMO EM MATO GROSSO:


O Simbolismo é uma corrente especificamente de poesia.Como em todos os países ou Estados, não possuiu muitos seguidores. É uma corrente de transição entre o Parnasianismo e o Modernismo.


FotoEm Mato Grosso vamos encontrar um Pedro Medeiros como o maior Simbolista. Um verdadeiro Verlaine no ponto de vista de Gervásio Leite. Natural de Corumbá, Pedro Medeiros escreveu uma poesia desprovida de termos de boemia, com o sentimento puro do povo. Porém sofreu influência de Mário Pederneira. Vejamos este exemplo:


É o solar da descrença e o Castelo da fé
Câmara mortuária e sala de Cabaré.


É um escravo d?alma, lacaio da matéria
Torre de altruísmo e gruta de miséria
Esconde o crime, o vício, agasalha a virtude,


Tegúrio de gemidos, soluções e inquietude,
- Coração pára-raios: o coração antena.
Favo de mel às vezes e muita vez gangrena.


Pedro Medeiros descreve bem a sua terra natal. A terra onde sempre viveu e muito amou.
LENDA BORORO


Deus atirou no espaço um punhado de estrelas
Uma chegou à terra. Outras tardam ainda.
A que desceu, por certo a mais luzente delas
Veio e se transformou numa cidade linda.


Desceu, porque do alto o Paraguai parece
neste ponto uma jóia: escreve em prata um S
que a estrela imaginara um prendedor ideal.
Ligando à serrania o imenso pantanal.
E como a muita estrela o céu azul não haste,
Caiu, como um brilhante, à procura de engaste.


E Corumbá surgiu, por sobre a terra branca,
Na alegria sem par do gentil casario
Entre o verde dos montes, - no alto da barranca,
Debruçada a sorrir para o espelho do rio...


Mas vamos encontrar outro poeta tipicamente Simbolista na pessoa de Franklin Cassiano da Silva. Os versos de Franklin apresentam os doces perfumes da primavera a repontar flores nos campos ensolarados.


Além de poeta, foi também teatrólogo, sendo suas peças bem aplaudidas pelo público da época. Destacam-se em suas obras: o amor, a paz, a suavidade e a beleza.


Não devemos esquecer também Leônidas Antero de Matos que deixou-nos trabalhos espalhados por jornais e revistas do Estado. Entre seus poemas destacamos:


NÓS


"Tu que és bela e com graça aprimorada
Do meu peito apagaste as negras dores,
No sossego feliz desta morada
Vem comigo gozar nossos amores.


Do campo hei de colher todas as flores
Para enfeitar teu leito minha amada:
Hão de invejar os astros sonhadores
A nossa vida calma e aventurada.


O último Simbolista foi Oscarino Ramos que colaborou em vários jornais e revistas do Estado.




AUTORES E OBRAS:


1.Pedro Medeiros - Nasceu em Corumbá em 1881. Residiu em Cuiabá onde foi funcionário do Ministério da Fazenda. Morou também no Rio e regressou à sua terra. Escreveu muito em jornais e revistas.Seu filho reuniu a maior parte de sua obra num volume póstumo: "Poesias, crônicas e comentários".


2.Franklin Cassiano da Silva - Nasceu em Corumbá em 1891 e faleceu em Cuiabá em 1940. Foi professor, diretor de instrução pública, poeta, jornalista e teatrólogo. 


Colaborou em vários jornais do Estado. Entre estes citaremos "O Mato Grosso", "A liça", "A imprensa", "A violeta" e outros.


http://www.webartigos.com/artigos/o-simbolismo-em-mato-grosso/39684/


PESQUISA UNEMAT - Universidade de Mato Grosso - Caceres/MT
http://www2.unemat.br/literaturamt/livro-verd05.htm


FUNDAÇÃO DA ACADEMIA
http://jmesquita.brtdata.com.br/Outros/1921_Ata%20Instalacao%20da%20AML.pdf


Des. José de Mesquita