sábado, 5 de novembro de 2011

HIJDRAS - 3º SEXO

As hijdras têm seus templos, sua deusa, e cumprem rituais que celebram a passagem do corpo masculino para o feminino. A sociedade lhes confere poderes excepcionais: eles têm o dom de abençoar e trazer sorte aos recém nascidos e recém casados. 

Na crença popular esse poder vem do amor que acumulam dentro de si, porque como não podem constituir família, não têm a quem dedicá-lo.

Assim, são convidadas para as festas para dar sua benção, cantar, dançar (cantam e dançam com excelência) e recolher dinheiro dos convidados, em troca de garantir o sossego local. 

Ninguém consegue ficar sem rir, pois são campeãs em humor.

 É muito auspicioso encontrá-las, mas negar dinheiro a uma hijdra é um risco terrível, porque elas nascem também com o poder de amaldiçoar.
(Pesquisa na Internet - mas já sabia dos costumes)



Hijra


Wikipédia

Os termos terceiro gênero e terceiro sexo descrevem indivíduos que não são considerados nem homens nem mulheres, em uma categoria social presente naquelas sociedades que reconhecem três ou mais gêneros.

O estado de ser nem macho nem fêmea pode ser entendido em relação ao sexo biológico do indivíduo, ao seu papel social de gênero, à identidade de gênero, ou à orientação sexual

Para indivíduos ou culturas diferentes, um terceiro sexo ou gênero pode representar um estado intermediário entre homens e mulheres, um estado onde são ambos (como "o espírito de um homem no corpo de uma mulher"), o estado de ser neutro, a capacidade de cruzamento ou de trocar sexos, ou outra categoria totalmente independente do masculino e feminino. Esta última definição é favorecida por aqueles que postulam por uma interpretação estrita do conceito de "terceiro sexo".

O termo tem sido utilizado para descrever Hijras da Índia e Paquistão[1]Fa'afafine da Polinésia, e virgens juramentadas dos Balcãs[2][3], entre outros, e também é usado por muitos desses grupos e indivíduos para descrever a si próprios.

O termo "terceiro" é geralmente entendido no sentido de "outro"; alguns antropólogos e sociólogos têm descrito um quarto[4], quinto[5] e muitos[6] gêneros.