quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Julian Assange vai entrevistar líderes políticos, pensadores e revolucionários


Julian AssangeJulian Assange, o criador do site WikiLeaks, vai ser o apresentador de um programa de entrevistas com líderes políticos, pensadores e revolucionários de todo o mundo, transmitido pelo canal de televisão em inglês pago pelo Kremlin, a Russia Today (RT).

O objectivo do programa será "ajudar a pensar aquilo que será o mundo de amanhã", diz o comunicado avançado no próprio site da Wikileaks. Julian Assange permanece em prisão domiciliária no Reino Unido desde Dezembro de 2011, acusado de agressões sexuais na Suécia, que reclama a sua extradição.

Sem adiantar nomes de convidados, o comunicado diz que o programa deverá começar a ser transmitido em Março e que será gravado a partir da mansão nos arredores de Londres onde está a viver.

No mesmo comunicado pode ler-se que num momento tão definidor como este - em que os regimes ditatoriais tremeram com a Primavera Árabe e em que as democracias ocidentais se agitam com uma tremenda crise financeira e de fé nas instituições políticas - “a Internet nunca foi tão forte nem nunca esteve tanto sob ataque”.

“Neste momento tão fulcral há a consciência da necessidade de repensarmos radicalmente o mundo à nossa volta”, indica ainda o mesmo comunicado.

Sobre o seu programa Assange diz: “Nesta série de entrevistas irei explorar as nossas perspectivas de futuro através de conversas com pessoas que estão a dar forma a esse mesmo futuro. Estamos a caminhar em direcção a uma utopia ou a uma distopia, e de que forma poderemos lançar os nossos caminhos? Esta é uma excelente oportunidade para debater a visão dos meus convidados num novo estilo de programa que examina as suas filosofias e as suas lutas de uma forma mais profunda e mais clara do que foi feito anteriormente”.

O site WikiLeaks divulgou em 2010 mais de 391 mil documentos secretos sobre o Iraque e 77 mil documentos sobre o Afeganistão dos Estados Unidos, e ainda cerca de 250 mil telegramas diplomáticos entre o Departamento de Estado e mais de 270 embaixadas norte-americanas por todo o mundo.

Por esse motivo, quer o site quer o próprio Julian Assange são considerados personae non gratae pela Administração americana e por diversos governos e organizações ocidentais.


http://www.publico.pt/Media/julian-assange-vai-entrevistar-lideres-politicos-pensadores-e-revolucionarios-1530674





LONDRES, 24 Jan 2012 (AFP) -O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, anunciou nesta terça-feira que apresentará um programa de TV de entrevistas com "personagens políticos chave, pensadores e revolucionários" de todo o mundo, que será exibido em meados de março.

O programa de "conversas em profundidade" terá 10 episódios de meia hora exibidos semanalmente e tratará do tema "o mundo amanhã", destacou o comunicado publicado na página do WikiLeaks.

O australiano de 40 anos, apresentado como "uma das figuras revolucionárias mais reconhecidas do mundo", "reunirá vozes controversas de todas as tendências políticas - iconoclastas, visionários e pessoas com acesso ao poder - para oferecer uma janela ao mundo do amanhã e suas ideias para garantir um futuro melhor", acrescentou o texto, sem citar os convidados.

"Como pioneiro na busca por um mundo mais justo e vítima da repressão política, (Assange) está excepcionalmente situado para catalisar uma discussão mundial sobre como fazer avanços", destacou o texto.

Este programa "de novo estilo" será difundido a uma audiência potencial de "600 milhões de telespectadores" por canais terrestres, a cabo e via satélite, segundo os acordos alcançados até agora por seus produtores.

Assange se encontra em liberdade condicional perto de Londres desde o final de 2010 à espera de uma decisão sobre sua extradição para a Suécia, que o procura como suspeito de quatro crimes de agressão sexual, inclusive um estupro, pelos quais não foi acusado.

O ex-hacker, que nega ter cometido os crimes, diz que o caso está motivado politicamente, após a difusão no WikiLeaks de dezenas de milhares de despachos confidenciais da diplomacia americana e documentos secretos sobre as guerras de Iraque e Afeganistão.

A Suprema Corte deve examinar o último recurso do australiano em audiência prevista para os dias 1 e 2 de março.

ra/erl/mvv

http://diversao.terra.com.br/noticias/0,,OI5575196-EI25,00-Julian+Assange+fundador+do+WikiLeaks+tera+programa+de+TV.html