sábado, 24 de março de 2012

Gramofone







Ontem colocando gasolina, um peruano ofereceu um gramofone, achei interessante, por que minha avó Joaninha e meu avô Bili, em Nova Olimpia-MT,  tinha um gramofone e uma vitrola, além de um relógio imenso que fazia tic-tac 24 horas.



O relógio existe até hoje com meu tio Tuim em Tangara da Serra, além de alguns móveis no estilo colonial, mas o gramofone, já estava encostado, quando parti de Nova Olimpia-MT, para Fernandópolis-SP em 1980.

Aproveitei o ensejo e treinei meu espanhol com o peruano, HABLAMOS MUCHO, PERO EL TIEMPO ERA CORTO.