segunda-feira, 11 de junho de 2012

Dia 11/06/2012 ... 27 anos do falecimento do meu pai

Hoje faz 27 anos do falecimento do meu pai PAULO DE ALMEIDA, mas conhecido em Nova Olímpia, Tangará da Serra, Barra do Bugres e Fernandópolis, como TUTA.

Estava com 17 anos, em junho de 1985, fazia 2º grau no Colégio EELAS e fazendo curso de Informática (Basic One), em São José do Rio Preto / São Paulo, nos finais de semana.

Minha irmã Glorinha e Marcos estavam no Jejap, um colégio perto de casa, o meu irmão Luiz, estava em Cuiabá, no Colégio Carmelita do Couto,  meu irmão Paulo (o Tuca), na Escola Naval, no Rio de Janeiro, aliás,  dia 11 é o dia da Marinha, meu pai faleceu no momento que meu irmão estava em desfile.







Neste dia, fui no Hospital, voltei, no caminho passei na minha avô Joaninha, que estava na casa da tia Cida, passamos no Padre,  e pedimos para fazer uma oração e ir visitar no hospital, já que havia sonhado com a morte do meu pai.

Deixei minha avô em casa, voltei à pé, para casa, no meio do caminho meu coração apertou, apressei o passo, vi minha tia Cida passando de carro, ela tinha um fusca, sai correndo pois meu coração dizia, que meu pai havia partido.  O aperto era tão grande, tão grande, que quase perdi a consciência, me deu uma tonteira no meio da rua, mas mesmo assim insistir em andar depressa.

Os vizinhos quando me viram passar correndo, principalmente a Sandra Cristina, que morava perto de casa, começaram a me gritar ... mas não parei, queria notícia, quando abri a porta da sala, minha mãe estava chorando, neste momento tive a certeza, meu pai tinha falecido, era 10 ou 11 horas da manhã.

Foi difícil, muito difícil, mas eu sabia, que ele iria embora ... a dor ficou, mas o amor, aplacou a esta dor. E a vida seguiu seu curso.

Mas agradeço pelo seus conselhos, um pouco dos avessos para muitos, mas sua visão de mundo, que me fez crescer e ser independente. Pois foi ele que sempre me dizia, que teria que me formar, para ser livre e jamais depender de um homem, nem todos tem a consciência, que uma mulher deve ser bem tratada. Ele mesmo, em muitos momentos maltratou a minha mãe, mas foi por ciúme, ele acreditava em quase tudo que dizia, pois minha mãe era muito bonita quando jovem, descobriu tarde, que era invenção de alguém que a queria. Já passei por isto, sei o que é... 

MAS SOU INDEPENDENTE E LIVRE.


MEU PAI ... OBRIGADA POR TUDO ... EU TE AMO E AINDA ESTÁ NA MINHA MEMÓRIA DO CORPO E DA ALMA.