domingo, 7 de outubro de 2012

Biólogos da Família RAUL VIEIRA e MARIA HELENA FANAIA

Raul José Vieira   e    Maria Helena Fanaia Pereira Vieira



Referência no estado, do ponto de vista turístico, ambiental e de pesquisa, o Zoológico da UFMT é o único do país implantado dentro de uma universidade.  Com uma área de 11 hectares, o Zoo abriga 469 animais, que incluem répteis, aves e mamíferos dos três ecossistemas regionais: Amazônia, Cerrado e Pantanal.
Atualmente o Zoo é a única referência no estado, para a guarda de animais que são apreendidos pelos órgãos fiscalizadores, como a Fundação Estadual do Meio Ambiente (FEMA), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (IBAMA), Polícia Florestal, e Juizado Volante Ambiental (JUVAM).
A grande maioria das espécies presentes no Zoológico está ameaçada de extinção.  Abrigados em ambientes que reproduzem seu habitat natural, muitos destes animais têm-se reproduzido em cativeiro, entres eles o macaco-aranha, lobo guará, cachorro vinagre, onça parda, mão-pelada.
Com esta reprodução, o Zoo presta uma contribuição fundamental a preservação destas espécies animais, bem como ao desenvolvimento do Banco Genético de animais em cativeiros do Brasil.
Por semana, visitam o Zoológico aproximadamente 10 mil pessoas, dentre elas, pesquisadores de Universidades da região, estudantes de I e II graus – através de visita monitorada, turistas estrangeiros e comunidade em geral.
A UFMT mantém o custeio do Zoo, mesmo sem possuir recursos previstos no orçamento do MEC para tal fim.



 Parque Federal da UFMT e Zoologico Estadual

Em 23 de março de 1977 iniciou-se na Universidade Federal de Mato Grosso, um plano básico para criação de alguns animais em volta de uma represa artificial construída no Campus de Cuiabá. Após alguns anos o número de animais aumentou, transformando então esse espaço em um pequeno Zoológico que se tornou uma das principais atrações da UFMT e da cidade (ZOOLÓGICO DA UFMT, 1999).

                        A partir de 1992, o Zoológico da UFMT passa a integrar a estrutura administrativa do Instituto de Biociências – Resolução CO nº 27 de 12 de fevereiro de 1992.

                        Com a extinção do “mini zôo” do 9º Batalhão de Engenharia e Construção (9º BEC) e a incorporação de seus animais ao plantel do Zoológico da UFMT, consolidou-se a idéia de se estruturar um zoológico de animais regionais representando os sistemas naturais do Estado de Mato Grosso, a Amazônia, o Pantanal e o Cerrado. Os animais são abrigados em ambientes que reproduzem seu habitat natural e encontram-se confinados de três formas: individual, em casais e em comunidades (ZOOLÓGICO DA UFMT, 1999).

                        Atualmente o Zoológico da UFMT possui em seu plantel 75 espécies dentre as classes de répteis, aves e mamíferos. Muitas da quais severamente ameaçadas de extinção, como por exemplo, a ariranha, o gavião real, o macaco aranha, que como outras já se reproduziram em cativeiro no Zoológico da UFMT (ZOOLÓGICO DA UFMT, 1999).

                        Desta forma, o Zoológico da UFMT, tem conseguido cumprir uma das principais metas dos Zoológicos, que é realizar a reprodução em cativeiro de animais ameaçados de extinção (ZOOLÓGICO DA UFMT, 1999).

                        No Estado de Mato Grosso, o Zoológico da UFMT é o único órgão receptor de animais silvestres apreendidos pelos órgãos de fiscalização ambiental ou de animais indevidamente retirados de seus habitats (ZOOLÓGICO DA UFMT, 2003).

                        O Zoológico conta com profissionais especializados, como biólogos e veterinários, que zelam pela alimentação, a saúde física e mental e habitat dos animais. Também conta com tratadores especializados na manutenção dos recintos e manejo das espécies.

                        O Zoológico da UFMT recebe mensalmente cerca de 6000 (seis mil) visitantes, dentre estes centenas de turistas nacionais e internacionais, estudantes de ensino fundamental e médio, idosos, etc (ZOOLÓGICO DA UFMT, 2003).

                        É reconhecido por sua peculiaridade de cuidar somente de animais regionais e pela qualidade de seus recintos que proporcionam aos animais uma boa qualidade de vida.  (ZOOLÓGICO DA UFMT, 1999).
(http://www.remea.furg.br/edicoes/vol24/art13v24.pdf) 

Horário: terça-feira à domingo das 7hs30min às 11hs30min e 13hs às 18hs