terça-feira, 13 de novembro de 2012

Cena Onze, meu grupo teatral em Cuiabá

Quando estava no cursinho, no Colégio ANGLO, hoje o Colégio CIN - Isaac Newton, isto em 1989 e 1990, o professor FLÁVIO FERREIRA, também era um dos professores do colégio, depois da UNIC - Universidade de Cuiabá.  Eu estava fazendo cursinho para prestar vestibular para UFMT, nesta época era única faculdade de Cuiabá, depois de 1990, que surgiu a UNIC.

Estava eu, estressada de tanto estudar, apareceu um monte de malucos convidando para fazer parte do grupo de TEATRO CENA ONZE, pensei, era o que precisava,  para sair desta loucura, que é estudar para vestibular, eu precisava de apenas 01 dia da semana, para liberar a mente do estress dos estudos. ENTREI PARA O TEATRO, AOS DOMINGOS.

Cláudia Fanaia, se tornou parte do grupo, por algum tempo, fiz o curso com o professor FLÁVIO FERREIRA, amei, mas a minha personagem, estava ligada ao teatro de rua e as tais das pegadinhas. Adorava me vestir de MADALENA, uma prostituta loira e extremamente envolvente, a brincadeira ia longe. Eu me divertia demais, com isto... e as pessoas também, no final.

Cia Cena Onze de Teatro



A Companhia Cena Onze de Teatro nasceu em 1990, com objetivo de apresentar ao público o que é cultura através de teatro, projetos e ações sociais. São mais de 40 peças já montadas, de autoria do diretor, de seus componentes e grandes nomes do teatro brasileiro.

http://cenaonzemt.blogspot.com.br/ 




Nesta foto - Márcio, Walesca, Léo, eu, Vânia e Leila - 2º FOTO


Nosso grupo na época - 1990 a 1993 - estou de CINZA, ao lado minha amiga de teatro e faculdade Vânia, 
hoje é Jornalista e Professora em Mato Grosso do Sul, pelo que fiquei sabendo é professora Universitária.
Sempre foi e é uma excelente escritora, tinha um monte de livros escrito,  mas nem um editado, na época.  Também fomos amigas de profissão, no Colégio Cândido Rondon, hoje a Faculdade Cândido Rondon, acho que é do mesmo dono, eramos professoras de Língua Portuguesa, eu dominava a Gramática e ela dominava a Literatura e Redação. Hoje perdi esta habilidade, por falta de estudo.

Mas todos, dentro do teatro,  tinha uma excelente capacidade intelectual.

A que está de branco é a Leila, que tinha uma programa de TV, na Gazeta, antes de mudar para Europa. Vendeu tudo, em busca de um amor, na Europa, viveu o seu amor e voltou ao Brasil, sem a sua vida aqui.
Teve que iniciar de novo. Agora pelo que sei,  está em Diamantino, aqui em Mato Grosso.

Mas vivenciou o seu grande amor, as loucuras, as dificuldades de um relacionamento e conviver em outro país, com culturas diferentes. Isto é a melhor escola do mundo, vivenciar a diversidade, mas viveu como fosse rica na Europa, sem se preocupar com o futuro, sem se preocupar que o dinheiro,  um dia,  iria acabar,  e, assim teve que voltar. Não se vive apenas de amor, ainda mais em outro país, precisamos de uma base sólida, para nos manter em equilíbrio e estável. A liberdade está ligada, a nossa estabilidade emocional e financeira.

O Léo, trabalha comigo no TJMT, esta na parte de Informática, é bom nisso, era na época casado com Leila.

O Márcio ou Marcos, eu não sei qual dele está na foto, pois são gênios idênticos, sei que ainda faz parte de grupos teatrais e vive em contato com a mídia.

A Valesca, não tenho mais notícias, nunca mais vi, também ela não tem boas recordações de mim, pois a minha personagem Madalena, seduziu o namorado dela, ele não parava de ligar para mim, acabamos nos envolvendo, ele era funcionário da Torre de Controle de Tráfico Aéreo do Aeroporto de Várzea Grande, penso que seja, alguns dos militares que viviam ao lado.