terça-feira, 18 de março de 2014

SOMBRA

Foto e texto - facebook da Zaira da Luz


Sombra

Eu venho do outro lado do espelho
Sou as madeiras escuras
Presto homenagem das sombras
Em suas sombras da floresta
Para as sombras de seus deuses
Na escuridão, sou luz
Eu falo para os espíritos que não têm línguas
Em uma linguagem que ninguém fala
Eu sou o anel de silêncio em ouvidos surdos
Um espetáculo para cegos
E da ausência de ter me chamado
Para realizar o impossível
Por impossibilidade é a minha senda
Eu sou o nada dentro de todas as coisas
O Cheio da minha natureza
E eu sou o porteiro
Dos portões do infinito
Sem a mim o infinito não poderia existir
Os Deuses nao poderiam te abençoar
e Cada um não poderia se Consagrar dentro da minha existencia
Eu sou A Sombra
A sua Parte em outra dimensão
Eu sou vc sem vc saber