sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Quais as Formas de transmissão Hiv ?

Bom gente,  o intuito de divulgar este tema, é uma problema mais social,
mas pode ser também de saúde, já que vi uma reportagem em Cuiabá, o aumento 
dos casos de AIDS, por aqui... ALERTAR É A QUESTÃO.
Em Cuiabá, por mais de 30 anos, tinha ou tem uma festa realizada por alguns homens
da alta society, que na realidade, era uma festa de orgia, onde participavam homens 
e mulheres, tanto homossexuais como heterossexuais.

Destes relacionamentos, sem os cuidados devidos, já que segundo comentários,  
eram regados por muito álcool e drogas, poder ter ocorrido o aumento da AIDS 
em Cuiabá.
Tinha um amigo, que todos no TJMT, sabiam que era Gay, melhor, bissexual,
 que tinha seus casos por aí,  e que frequentava a tal festa. Não temos nada
haver com isto, desde isto não fosse um problema. Meu amigo Joaquim Francisco
morreu de AIDS e frequentava esta festa. Trabalhávamos juntos no DRH e vivemos
o seu drama, durante o percusso da doença.

Levando em conta, que Joaquim Francisco morreu há mais de 10 anos e esta
festa continuou... sem ninguém fazer nada. Este vírus pode ter infectado outras
pessoas.

Fica aí um questionamento:
Já pensou, nas esposas de muitos homens que estiveram nestas festas,
que sem saber foram contaminadas por seus maridos?
Já pensou, nas namoradas ou namorados, destes homens que participavam
regularmente desta festa?
Já pensou, nas inúmeras garotas de programas que frequentavam esta festa
 e que continuavam a sair com outras pessoas fora desta festa?

É ALARMANTE!!!  Pois descobri que muitos destes homens estão morrendo,
 pelo que sei, estão contaminados com o vírus da AIDS.

Por causa de IRRESPONSABILIDADE de alguns, muitas pessoas foram contaminadas.
Olha que faz muito tempo que estou tentando impedir a realização desta festa.
Mas não, tanto as pessoas que participavam, quanto as suas companheiras, fizeram
da minha vida um INFERNO, só porque estava tentando ALERTAR, as pessoas.
Tudo bem, a vida é justa, quem mais ficou contaminado foram os que participavam
desta festa e suas companheiras.  DEUS É JUSTO.

Podem dizer, que sou LOUCA, não estou nem aí.

TENHO CERTEZA QUE AS PESSOAS QUE NÃO SE ENVOLVERAM NESTA TRAMA 
POR CONHECER A SITUAÇÃO, HOJE SABEM QUE ESTÃO LIVRES DESTE VÍRUS.

ENTÃO, VAI INFORMAÇÃO ... E NÃO SE ENTREGUEM, SEM SABER QUEM É A PESSOA,
NÃO É UM AMOR, QUE VALE TUA VIDA.



SEGUIR O TEXTO DA INTERNET:

Quais as Formas de transmissão Hiv ?
O HIV transmite-se, de uma forma geral, através de três maneiras:
Através de relações sexuais desprotegidas
A principal, e mais importante, forma de transmissão do HIV de uma pessoa para outra é o contacto mais íntimo que duas pessoas podem ter – as relações sexuais. As secreções sexuais (secreções vaginais e sémen/esperma), de pessoas infectadas pelo HIV, contêm grandes quantidades deste vírus. 
A principal, e mais importante, forma de transmissão do HIV de uma pessoa para outra é o contacto mais íntimo que duas pessoas podem ter – as relações sexuais. As secreções sexuais (secreções vaginais e sémen/esperma), de pessoas infectadas pelo HIV, contêm grandes quantidades deste vírus.
Embora o vírus possa ser encontrado em outras secreções corporais como a saliva, urina e suor, as quantidades de vírus (carga viral) nessas secreções são demasiado pequenas para permitir que haja transmissão.
O risco que representa a relação sexual anal ou vaginal
A relação sexual anal parece ser a prática sexual com o maior risco de transmissão do HIV, porque o revestimento do ânus rompe-se facilmente durante sexo anal, por não estar preparado para resistir à fricção do pénis.
Tanto o sexo vaginal como o anal são mais seguros se praticados com o preservativo correctamente usado (sexo seguro). As DTS´s aumentam o risco de infecção pelo HIV, porque causam lesões nos órgãos genitais, e muitas delas não são visíveis. O tratamento efectivo e precoce das DTS´s, incluindo o parceiro, tem um papel importantíssimo na prevenção e controle da infecção pelo HIV.
Qualquer relação sexual desprotegida (sem o uso correcto do preservativo) constitui um factor de risco para a infecção pelo HIV.   
Através da passagem directa de sangue infectado com HIV de uma pessoa para outra
O sangue de uma pessoa infectada pelo HIV torna-se um factor de alto risco de transmissão de HIV quando introduzido no corpo... 
 O sangue de uma pessoa infectada pelo HIV torna-se um factor de alto risco de transmissão de HIV quando introduzido no corpo através das seguintes formas:
    * Através de transfusões de sangue (receber sangue)
    * Através de picadas ou cortes com instrumentos cortantes ou perfurantes contaminados e não esterilizados, como seringas, agulhas, lâminas de barbear, entre outros.
    * Através da compartilha de seringas e agulhas para injectar drogas ou fazer tatuagens.
    * Através do contacto directo do sangue, sémen ou secreção vaginal de uma pessoa infectada com a pele lesada (com feridas abertas).
Actualmente, o risco de transmissão do HIV de uma pessoa para outra em Unidades Sanitárias é quase nulo, porque:
    * Todo o sangue doado é testado para saber se está infectado pelo HIV ou não antes de ser transfundido para outra pessoa e,
    * Todos os instrumentos corto-perfurantes usados em unidades sanitárias, como seringas e agulhas para injecções e outros instrumentos médico-cirúrgicos, são devidamente esterilizados.
O uso de instrumentos corto-perfurantes (lâminas, agulhas, facas, garrafas, e outros) constitui um factor de risco de transmissão pelo HIV devido à falta ou desconhecimento da prática de desinfecção destes instrumentos. Daí que todas as precauções devam ser tomadas, evitando o uso de instrumentos que foram utilizados por outras pessoas.
As instituições de saúde oferecem outras alternativas para a redução do risco de infecção, como por exemplo, a pessoa comprar agulhas e seringas descartáveis na farmácia e levar à unidade sanitária.
Através da passagem do HIV de uma mãe infectada para o seu filho
Uma mãe infectada pode transmitir o HIV para o seu filho em três fases, que são: Durante a gravidez (gestação), Durante o parto e Durante a amamentação. 
Uma mãe infectada pode transmitir o HIV para o seu filho em três fases:
Durante a gravidez (gestação)
Durante a gravidez, o sangue do bebé (feto) não se mistura com o sangue da mãe. Mas há uma troca de várias substâncias entre o sangue do bebé e o da mãe através da placenta, como o oxigénio (O2), alimentos, anticorpos e nessa ocasião, se a mãe estiver infectada, o HIV também pode passar para o bebé. Image
Durante o parto
Durante o parto o risco de transmissão do HIV é maior (~70%) porque o bebé pode sofrer lesões na pele que permitam que o sangue da mãe entre em contacto com o seu, resultando daí na transmissão do HIV. Image
Durante a amamentação
A alimentação de crianças em comunidades com poucos recursos e baixas condições socio-económicas, como as comunidades Moçambicanas, é um problema muito complexo. Existe um risco de transmissão do HIV ao bebé durante a amamentação (~12-14%), mas também existe um risco potencial da criança ter gastroenterites, malnutrição e outras condições infecciosas, se não houver uma fórmula nutricional substituta segura.