segunda-feira, 19 de outubro de 2015

DESFAZENDO EQUIVOCOS

Quem me conhece.  sabe que entrei no Tribunal de Justiça em 05.03.1987, na Gestão do Des. ODILES FREITAS. Sai na mesma Gestão e fui morar no RJ, onde trabalhei no Bradesco e fiz vestibular  na UFRJ e na Estacio de Sá, 1988 e retornei em 1989 e passei em concurso  público.

Não quero entrar em detalhes quanto ao Des. ODILES, pois além da fama de ser sua  amante, tem muito mais. NÃO  QUERO ENTRAR NESTES FATOS ILUSÓRIO,   POIS ERA VIRGEM, E TEM MUITA COISA ENVOLVIDA, principalmente com sua esposa.

Quanto ao Des. ERNANI VIEIRA, posso dizer que sempre me tratou muito  bem,   mas acredito que ele realmente gostava de mim,  de verdade,  mas nunca tivemos nada. Era Virgem. ...  Mas sabia do seu amor platônico por mim.

Quanto ao DES. ONESINO NUNES, trabalhei no seu gabinete em 1992 e início  de 1993,  meu protetor, tenho imenso respeito, considero meu pai e uma das  melhores pessoas que conheci dentro do Poder Judiciário.  Respeito demais, pra ser sua amante e atrapalhar seu casamento. Mas tinha um sobrinho dele, querendo me namorar, o tal de Catita, o Des. ONESINO não aprovou o namoro... Não gostava do comportamento do sobrinho.  NÃO TIVEMOS NADA, SÓ BEIJINHOS... com o sobrinho.

Quanto ao Des. CARLOS AVALLONE, adoro sua esposa D. Ida, o seu filho mais velho  CARLOS AVALLONE ,  a gente frequentava as mesmas festas, ele tocava pandeiro e amava um pagode. Ele sempre tinha um monte de gente do TJMT em volta, mas nunca tive nada nem com o pai e nem com o filho, só  estava no mesmo local.

Quanto ao Des. PEREIRA DO NASCIMENTO, eu morria de medo dele, tínhamos que dar continência e fazer reverencia a sua entrar na sala, conheço os filhos, pois são primos de uma amiga do TJMT, Nadia Dias, que é  sua sobrinha. Ela me ajudou muito  quando minha mãe  faleceu.

Quanto ao Des. LEONIDAS DUARTE, conheço só  do Tribunal, todos os filhos, tanto o arquiteto e o Juiz. Só  tenho apreço imenso por todos.

Quanto ao Des. MAURO PEREIRA, conheço todos, seus filhos são  meus amigos no FACEBOOK, gosto de todos. Fui amiga intima de uma de suas sobrinhas  CACIA SENNA, entramos juntas no  TJMT.

Quanto ao DES. PAULO LESSA, conheço seus filhos no  TJMT e sua esposa DHEA, amiga de família, sempre me trataram bem. Mas já namorei um dos seus Assessores. Waldemar Neto, hoje é  Promotor de Justiça. Porém a gente só  encontrava fora do TJMT, lá  dentro ninguém  sabia de nada, ele era amigo do Helcio Siqueira, Oficial de Justiça. 

Quanto ao Des.  JURANDIR DE CASTILHO, só do TJMT, tanto ele, quantos os filhos. O seu Assessor jurídico, o Dr. BUDHNEI, me ajudou a montar o processo, de Reintegração de Posse, apenas isto, sempre foi atencioso e sempre me informou do andamento, já que ele me ajudava quanto aos treinamentos no TJMT. Passou no concurso de Juiz,  mas o processo só  teve fim depois de 20 anos. Nunca falei com ele quanto ao processo, 1995 e 1996. 

Quanto ao Des.  JOSÉ JURANDIR DE LIMA, quando casei com o Policial  Rui Dorst, ele pediu pra falar  com seu Assessor jurídico Dr. Belmiro,  mas logo ele passou pra concurso pra juiz de direito, infelizmente ele veio a falecer em um acidente grave, mas fez de tudo pra fazer pagamento atrasado, que ainda continua atrasado. Nunca tive nada com nenhum dos 2, apenas tentaram me ajudar.

Quanto  ao Des. ORLANDO PERY, ele estava  doente, com câncer, ele não  me conhecia, mas já  conversamos muito, por telefone, para ajudar quanto ao tratamento e dar uma força moral e psicológica. Ele namorou várias amigas, desde quando era Juiz,  apesar de me ajudar quando minha mãe  faleceu, a amizade era com sua namorada na época  Stella Terra, na faculdade  e TJMT.  Íamos junto a faculdade, no meu Escort dourado. Mas descobri que ele era apaixonado  por mim,  mas não  me conhecia, só  minha voz. Quando conversava, nunca disse meu nome. Alguém  me disse  que queria me encontrar, pois iria casar comigo, mas ele era namorado  das amigas. Sempre solteiro e conquistador.

Com o Des.  FLAVIO BERTIN, conheço o Desembargador quando entrei, 1987, junto com ele, os seus filhos Flavinho e Fernando.  A sua Tereza, conheci depois, ela é negra, fora do casamento, mas todos na família, tratam muito bem, em 1990, comecei a sair com o seu filho mais velho, o  Flavinho, então o meu lance com o Flavinho, foi 19990 a 1993, depois me disse que iria casar, resolvi cair fora.  MAS COM O DESEMBARGADOR FLAVIO BERTIN, NUNCA TIVE NADA, O ROLO FOI QUE SEU FILHO TEM O MESMO NOME.