domingo, 31 de janeiro de 2016

Nem tudo é para sempre

imagem internet

Permita-se rir e conhecer outros corações. Aprenda a viver, aprenda a amar as pessoas com solidariedade, aprenda a fazer coisas boas, aprenda a ajudar os outros, aprenda a viver sua própria vida. 

- Mario Quintana


Quando vi esta imagem, de uma cerca de metal, em primeiro momento relacionei, a estar só, a viver presa a uma vida sem sentido.

Bom, as vezes, estar só faz parte do processo de mudança, de alterar o nada, pois nada acontece, quando estamos só, aparentemente... aparentemente, nada acontece,  pois as mudanças ocorrem no silêncio da alma.

Como sou formada em Letras, fiz alguns semestres de Literatura Brasileira, onde temos que analisar os textos, e muitas vezes,, imagens e a vida real. e esta imagem, seria tema de analise em sala de aula. 

Dela sairiam muitas analises, cada uma vindo de um ser humano com sua visão de mundo e das suas experiencias, mas a mais comum, seria uma cerca de metal, se desfazendo.

Estar só é um processo de mudança pessoal. 

Quando vi esta imagem, percebi que nem tudo é para sempre, mas pode perdurar por longos anos e as mudanças vem, mesmo que seja lenta. O tempo muda tudo... o tempo é algoz de tudo e todo.

O Tempo vem de forma sorrateira, dizendo,: comigo ninguém pode, nada se esconde e nada se perdura. DO TEMPO NADA SE ESCONDE, TUDO SE MOSTRA.

Bom, não quero aqui, me esconder por estar sozinha, mas digo que é um meio de me transformar e tentar entender tudo. Mas neste exato momento, o TEMPO NÃO PERDOA, ELE VOA, SEM DÓ... e eu ainda, estou só, tentando encontrar as respostas, pois cada assunto que resolvo, surgem outras perguntas, que quero respostas.  COMO TEMPO CORRE... E AS DUVIDAS AUMENTAM.

Estou aqui analisando uma imagem, sabendo que o tempo corre... e as respostas voam e eu ainda não cheguei ao final.

Alguém já encontrou todas as respostas da para sua vida. Eu estou a analisar, mas o tempo voa.

Texto:  Claudia Cristinne Fanaia de Almeida Dorst 
Formada em Letras, Pós-graduada em Gestão nas Organizações e servidora aposentada na área de RH e Treinamento e Desenvolvimento, do TJMT. Iniciando estudo em Programação Neurolinguística e coletando material de pesquisa para o mestrado em Antropologia.