segunda-feira, 16 de maio de 2016

Advogados querem impeachment de Taques e outros 16

Por Priscilla Silva -

 

16/05/2016

1

4807

    

Pedro Taques/Foto: José Medeiros-Gcom

Um grupo de advogados de Campinas (SP) iniciou coleta de assinaturas para pressionar o Conselho Federal da classe a pedir o impeachment e outras punições contra 17 governadores e ex-governadores. Todos teriam cometido as pedaladas fiscais. Entre os nomes está o governador de Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB).

Material da campanha divulgada pelos Advogados Independentes de Campinas

A coleta de assinaturas vem sendo feita pela internet e redes sociais. É encabeçada pelo grupo conhecido como Advogados Independentes de Campinas. Até a edição desta matéria, por volta das 17h de domingo (15), já havia cerca de 340 apoiadores de vários estados do país.

No abaixo-assinado, o grupo alega que as pedaladas fiscais foram usadas como argumento para o pedido de impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff (PT).

Os advogados argumentam ainda que a Ordem dos Advogados do Brasil de São Paulo e o Conselho Federal se manifestaram em favor do impeachment e agora precisam ser coerentes. A Seccional de Mato Grosso também apoiou o impedimento.

“A coerência nas atitudes é essencial par aqueles que afirmaram agir com neutralidade e imparcialidade, como fizeram os dirigentes da OAB”, diz trecho do abaixo-assinado. “É imprescindível que a OAB, efetivamente, cumpra com seu dever de coerência e não deixe dúvida de ser uma entidade neutra”, completa.

A meta do grupo é atingir 1.000 assinaturas e apresentar o pedido à OAB. O grupo Advogados Independentes de Campinas surgiu em março passado. Posiciona-se contrário ao impeachment de Dilma, o que classifica como golpe.

A campanha vem sendo feita no site change.org, onde os internautas podem buscar apoio para qualquer tipo de manifesto. Tem como tema “Pela imediata ação da OAB contra os governadores que praticaram ‘pedaladas fiscais’”.

Além de Taques, que teria cometido as pedaladas nas contas de 2015, a campanha cita ex-governadores que também teriam cometido as pedaladas, como Aécio Neves (senador pelo PSDB) e Jacques Wagner (ex-ministro de Dilma pela cota do PT).

O ex-governador do Ceará e ex-ministro da Educação de Dilma, Cid Gomes, já pediu à Câmara dos Deputados o impeachment do presidente interino, Michel Temer (PMDB), pelas pedaladas que o peemedebista também teria dado em 2015. O pedido, no entanto, foi rejeitado sumariamente por Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Outro Lado

A reportagem entrou em contado com o Gabinete de Comunicação do governo, que se comprometeu em dar retorno sobre o assunto nessa segunda-feira (16.05).