quarta-feira, 19 de outubro de 2016

TIREI A NOTA MÁXIMA, TRABALHO SOBRE HORMONIO DE CRESCIMENTO

Estou fazendo faculdade novamente, agora de EDUCAÇÃO FÍSICA, e quando criança e adolescente, o professor de Educação Física, vivia fazendo a medição da nossa estatura e peso. Jamais imaginei a importância desta prática.

Sendo assim, como tirei nota máxima e que também um ELOGIO do Professor.

Vamos falar sobre, o Nanismo e Gigantismo, problemas no Hormonio do Crescimento, durante a infância e adolescência. Mas há casos na fase adulta, mas o crescimento é nos membros inferiores e cabeça, onde há deformação do corpo e tem tratamento para todos os problemas.

Caro Aluno,

Observe a foto. Você acreditaria se lhe dissesse que todas as pessoas da foto possuem quase a mesma idade? Certamente você pensou: "mas essa menina é tão mais alta!" Isso mesmo, bem mais alta. Caso você visse uma foto com uma situação oposta a essa, com uma criança muito mais baixa do que as outras, e mais uma vez lhe dissesse que todas possuem praticamente a mesma idade, você ficaria tão surpreso quanto agora. Duas doenças raras podem ser responsáveis por situações como essa: Nanismo e Gigantismo. A ausência ou o excesso do hormônio do crescimento (GH) pode ser tido, até certa forma, como a explicação para essas doenças. Você sabia que doenças como essas, quanto antes forem descobertas (quanto menos idade a criança tiver) mais chances os tratamentos médicos têm para serem efetivos e reduzindo ou até anulando os efeitos negativos dessas doenças? Para entender um pouco mais a respeito, leia o pequeno texto intitulado "Gigantismo e Nanismo são doenças raras" acessando o link: 

http://www.dgabc.com.br/Noticia/6242/gigantismo-e-nanismo-sao-doencas-raras


Em seguida, assista a dois vídeos bem curtos acerca do Gigantismo.


Pronto, agora você já está preparado para responder à seguinte situação problema: Você, professor de educação física de uma turma do 5º ano (alunos com idade entre 10 e 11 anos) em uma escola que incentiva que haja uma avaliação de massa corporal e estatura no início do ano letivo com as crianças. Você realiza tal avaliação e identifica uma menina de 10 anos com 1 metro e 55 centímetros de altura. Ao acessa a tabela pôndero-estatural, você identifica que a aluna encontra-se acima do percentil 97, ou seja, muito além da altura esperada para sua idade. Qual atitude você tomaria diante de tal fato? Indicaria a menina a fazer um raio-X? Você a levaria, imediatamente, a um médico de emergência? Chamaria a atenção dos pais para procurarem mais informações acerca desse assunto com um pediatra? Ou simplesmente ignoraria tal fato, seguindo normalmente com seu trabalho sem se importar?



FACULDADE CRUZEIRO DO SUL VIRTUAL - FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA.

ATIVIDADE DA PA_II – DISCIPLINA CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO APLICADO À EDUCAÇÃO FÍSICA 
ALUNA: Cláudia Cristinne Fanaia de Almeida Dorst 





Conforme os vídeos e leituras, eu, como Professora em Educação Física e na minha condição de ser apenas Professora e não um especialista, chamaria a atenção dos pais desta criança ao referido fato. 

Neste caso, marcaria uma reunião com seus pais, e falaria do resultado dos exames físicos,  faria uma breve explicação sobre o Distúrbio, irei informar aos pais desta criança, que sua altura está muito acima da altura normal de uma criança de 10 anos, que ela está crescendo rapidamente e que isto pode causar problemas futuramente, que precisa de uma avaliação médica mais detalhada sobre o fato. 

Sendo assim, no caso da filha deles, ela está com 10 anos, com 1 metro e 55 centímetro de altura, e que de acordo com a Tabela Pondo-estatural, ela se encontra acima do Percentil 97, que isto indicaria que não é um crescimento normal, que está muito além do que se espera para uma criança na idade que tem, que precisa ser verificado. Iria mostrar o resultado na Tabela Pondero-Estatural e fazer comparações com as estaturas médias e baixas. Tentando fazer entender o que está ocorrendo com a sua filha. 

Explicaria que o distúrbio é conhecido de Gigantismo, que é o excesso de liberação do Hormônio do Crescimento (GH) pela Glândula  Pituitária,  no organismo. E que umas das funções desta Glândula é fazer o organismo crescer e desenvolver harmonicamente e normalmente. Mas isto não ocorre em todos, em algumas pessoas isto pode afetar o crescimento, tanto para o Nanismo, quanto para o Gigantismo. Partindo da disfunção hormonal desta glândula Pituitária, em algumas pessoas,  esta glândula pode alterar seu funcionamento, o que ocasionaria a falta ou excesso do Hormônio do Crescimento.  

No caso, da filha deles, ela está acima da estatura normal, sendo assim, eu indicaria que procurasse um Médico Pediatra, que poderá orientar e analisar melhor o Percentil de 97, que foi calculado em exames físicos rotineiros em sala de aula, para aferição das medidas e pesos, por um especialista. E que o Pediatra iria fazer os exames necessários e poderia dar um diagnósticos mais preciso sobre o resultado da Tabela Pondero-Estatural.  

E que após as orientações médicas, retornassem a procurar os Professores de Educação Física com os exames e as orientações médicas, para que possamos saber sobre o parecer médico e que isto seja mais uma experiência aos professores. E que no futuro possamos ajudar melhor, algum aluno com os mesmos problemas de distúrbios do Hormônio do Crescimento.